quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Obrigada




Obrigada meus amigos, pelo vosso carinho.
Mas esta vossa amiga, pensava que era mais forte do que realmente é!
Os meus olhos vestem-se de lágrimas todos os dias 
e o meu coração calça sapatos de solidão!
Perdoem, mas ainda não consigo sentar-me com vocês a jogar às 5 pedrinhas...
vou lambendo as minhas feridas, embalando nos braços uma Inês
que com a sua inocência meiguice e alegria, "descaroça" a minha alma,
para que um dia, venha jogar às pedrinhas com vocês.

Bem-hajam todos!

Abraça-vos a Poeira que não deixa ver as Estrelas.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Falando de Perdão ...e de Amor




Nestes dias em que a alma 
anda mais perto dos olhos e do coração 
e em que , pelo menos eu, medito naquilo que é a minha vida, 
naquilo que fiz e posso fazer, 
no que não fiz mas ainda quero fazer, 
dou comigo a pensar no porquê desta inquietação,
deste "despudor" de emoções, 
deste acordar para o que não se disse ou não se fez
desta vergonha , 
desta pena que poderia não ter sentido
(e não ter sentido, enquanto pena!)
Nestes dias,
em que sentimos num abraço todo o poder do Mundo,
num beijo, toda a ternura das mães da terra,
nestes dias... penso no perdão.
Não no perdão aos outros, 
esse é fácil, para quem tem o coração cheio de amor.
É no perdão a mim mesma, que eu penso.
invariavelmente concluo que é o mais difícil,
o que mais dói,
o que mais entristece
e o que mais custa a aceitar!
Há sempre a tentação dos "ses", dos "mas"dos "talvez"...


É então quando acordamos desse sono profundo 
que envolve a nossa culpa
como se papel de seda se tratasse
para que não lhe pudessemos mexer
não fosse ele rasgar-se...


Embrulhada neste "sim, não",
dou por mim enrolada no sofá
fungando,
(quiçá, cheia de pena do meu "eu", que por vezes embalo, como se de um bebé se tratasse)
olho para a estante dos mil livros preciosos
e abro um ao calha!


Fala de perdão!
e de uma forma tão clara e tão doce
que logo aliviou o meu nublado coração


É esse poema que vos deixo aqui
em forma de remissão.


Fiz a maldade e olhei Jesus
Ele baixou os olhos e corou.
e toda a gente julgou
que quem fez a maldade foi Jesus


E todos Lhe perdoaram...

- Obrigada Menino! mas agora

tira os olhos do bibe e vem brincar, 
que eu prometo, para não Te ver corar,
já não fazer das minhas.
Anda jogar ao pé das flores, no chão,
comigo, às cinco pedrinhas...;
anda jogar para esqueceres
o preço do meu perdão...

Sebastião da Gama (Serra Mãe)


Depois de ler este poema, nada há a acrescentar...


Beijinhos cheios de Pó de Estrela

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Da minha amiga Canduxa



 Recebi este selo da minha amiga Canduxa
a quem muito agradeço pelo carinho


EXPONDO AS REGRAS,DUAS PERGUNTINHAS APENAS:


 1.1 - Seu blog é um livro da sua vida? 
Não, de maneira nenhuma. O meu blog é um sítio de partilha de emoções e onde tenho encontrado muitas estrelas que tenho juntado com muito carinho ao meu Universo Estrelar. Espero com ele também contribuir de alguma forma para o enriquecimento de todos nós, pois que se de afectos se trata, a todos toca e a todos chama.

O meu livro, como diz a minha "bengalinha", ainda está por escrever...talvez um dia!

1.2 Porque deu este nome ao seu blog? 
Porque a minha vida é procurar estrelas...


2. Dê este selo para 3 blogs que merecem virar um livro.

 os blogues das minhas estrelas, são todos eles merecedores de livros, mas como tenho que escolher... aqui vai!
E os nomeados são...tanam!!!!!!      
Sensações Fada Eliane









O Poder dos Anjos





  
Alegria de Viver




                      Muitos Beijinhos a todos

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Mais uma Estrela brilha no Céu



O Senhor ouviu a nossa súplica!
Levou-a a descansar em verdes prados.
Que a sua alma de menina
encontre repouso nos Seus braços.


Obrigada a quantos me acompanharam. 
 Um beijinho da Pó que tem mais uma Estrela a brilhar no Céu



quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Querida Ana Maria







A teu lado há um anjo sempre pronto
a falar-te ao coração,
para que descubras em ti
o lugar onde o Céu e a Terra se tocam
Onde Deus habita e tem preparada
para ti uma morada
onde podes restaurar as forças,
apreciar o teu ser e a tua vida,
amar a Deus e os irmãos


Anselm Grum


Peço a Deus Misericórdia para tua e nossa dor que se prolonga...

sábado, 10 de outubro de 2009

Eu sou a Voz



 Esta é a tradução da canção que acompanha o slide da minha neta Inês


Com ela também faço uma paragem de alguns dias para acompanhar minha irmã Ana Maria, que O Senhor está a chamar para o Seu Reino.
Que tal como na música, ela não tema e O siga para que finalmente possa ser livre.



Ouço a sua voz no vento
E ouço-a chamar meu nome...

"Ouve, minha criança!" Você diz para mim,
"Eu sou a voz de sua história,
Não temas - vêm, siga-me,
Responda meu convite e vou tormar você livre ".

Eu sou a voz do vento e da chuva torrencial,
Eu sou a voz de anseio e dor;
Eu sou a voz que sempre está chamando você,
Eu sou a voz - Eu persistirei

Eu sou a voz nos domínios em que o verão acabou,
A dança das folhas no Outono, quando os ventos sopram;
Posso dormir ao longo de todo o frio do Inverno;
Eu sou a força que na primavera vai crescer.

Eu sou a voz do passado que será sempre,
Pleno em meu sofrimento e com meu sangue em meus campos
Eu sou a voz do futuro...
Traga-me a sua paz, traga a sua paz, e as minhas feridas irão cicatrizar

Eu sou a voz do vento e da chuva torrencial,
Eu sou a voz do anseio e da dor;
Eu sou a voz que sempre está chamando você,
Eu sou a voz

Eu sou a voz no passado que será sempre
Eu sou a voz de fome e dor;
Eu sou a voz do futuro...
Eu sou a voz... 


Um beijo da Pó de Estrela

 

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Desenhar uma flor


 Continuo em "obras interiores", por isso, vou recorrendo aos textos que me acompanham ...

 

Desenhar uma flor


Pede-se a uma criança: Desenha uma flor! 
Dá-se-lhe papel e lápis.

A criança vai sentar-se no outro canto da sala onde não há mais ninguém. 
Passado algum tempo o papel está cheio de linhas. 
Umas numa direcção, outras noutras; umas mais carregadas, outras mais leves; umas mais fáceis, outras mais custosas.

A criança quis tanta força em certas linhas que o papel quase não resistiu. 
Outras eram tão delicadas que apenas o peso do lápis já era demais. 

Depois a criança vem mostrar essas linhas às pessoas: Uma flor! 

As pessoas não acham parecidas estas linhas com as de uma flor! 

Contudo a palavra flor andou por dentro da criança, da cabeça para o coração e do coração para a cabeça, à procura das linhas com que se faz uma flor, e a criança pôs no papel algumas dessas linhas, ou todas. 

Talvez as tivesse posto fora dos seus lugares, mas, são aquelas as linhas com que Deus faz uma flor!

Almada Negreiros, in “O Regresso ou o Homem Sentado – III parte”

Um beijinho e uma flor da vossa Pó de Estrela 


quarta-feira, 7 de outubro de 2009

O segredo é Amar




 Olá a todos

Como ainda não sacudi o pó todo, deixo-vos aqui um texto de que gosto muito e que fala do "saber olhar".

Ontem, senti sobre mim, um olhar diferente. Um obrigado a esses olhos que me souberam abraçar...

O poeta beija tudo



O poeta beija tudo, graças a Deus… E aprende com as coisas a sua lição de sinceridade…


E diz assim: “É preciso saber olhar…”


E pode ser, em qualquer idade, ingénuo como as crianças, entusiasta como os adolescentes e profundo como os homens feitos…


E levanta uma pedra escura e áspera para mostrar uma flor que está por detrás…


E perde tempo (ganha tempo…) a namorar uma ovelha…


E comove-se com coisas de nada: um pássaro que canta, uma mulher bonita que passou, uma menina que lhe sorriu, um pai que olhou desvanecido para o filho pequenino, um bocadinho de sol depois de um dia chuvoso…


E acha que tudo é importante…


E pega no braço dos homens que estavam tristes e vai passear com eles para o jardim…


E reparou que os homens estavam tristes…


E escreveu uns versos que começam desta maneira: “O segredo é amar…”




(Sebastião da Gama)


Um beijinho da vossa Pó de Estrela




domingo, 4 de outubro de 2009

Não perguntem porquê


Foto da net
Não me perguntem porque estou triste
apenas o sei!
Tenho a alma amargurada
as mãos inertes
a vontade apagada !
Tenho os olhos lavados
de tantos sorrisos fechados
de tantos abraços negados!
não me apetece ler
não me apetece ter
não sei o que ser!
não me perguntem porquê
não vos sei dizer!