sábado, 11 de abril de 2009

Páscoa

Não sei se é este ar de Páscoa disfarçada se é a monotonia que teima em ficar, mas decididamente esta não sou eu! Onde estão os meus anjos e duendes, as minhas fadas, as minhas estrelas brilhantes? Se calhar a chuva levou-as ou então estão com tanto medo da minha "tótice" que se esconderam debaixo de um cogumelo e estão à espera que "esta coisa" passe. espero pelo sol, e por as cerejas, pelas amoras, pelos beijinhos apanhados na maré baixa... Espero acordar, antes que adormeça de vez! Será da Páscoa? Talvez...

1 comentário:

Alfredo disse...

Lindo!!!
A única experiência que tenho de blogs é a da minha filha Mariana.
Quica, tu és uma poeta!!!!
Faz favor de deitar esses poemas cá para fora e publicar!!